Do céu ao inferno

Era realmente o lugar mais belo que encontrara. Mesmo entre prédios e diante da correria da cidade, era lá que gostaria de encontrá-la. Quinze minutos depois, se cumprimentaram e buscaram o banco mais próximo para sentar e conversar.
Olhares tímidos, poucas falas. Predominavam os monossílabos e os sorrisos discretos.
- Eu queria te dizer... – começou ele, com a voz trêmula e as mãos impacientes.
- Não faça isso. – interrompeu ela, pondo o indicador nos lábios dele.
- Mas, porque?
- Eu gosto dele.
Depois disso, vieram os cinco segundos mais longos de todos os tempos, momento em que os prédios ao redor caíram e o caos fora instalado. Deixou-a para trás e, embora cambaleante, seguiu pela vida sem rumo.

autoria: Julio Simões - data: 31/08/06

2 comentários:

Anônimo disse...

Ainda acho que essa não é uma história composta somente por elementos ficcionais...

Julio Simões disse...

É, eu sei que você acha isso, Jana. Mas isso ainda é só literatura, quando não for eu não vou escrever.

Bjo!