A cura para todo mal

Dias desses recebi um comentário diferente em um dos posts deste modestíssimo blog. Era o Fábio, dos Pitacos, perguntando se eu não pensava em publicar meus contos em livros, tamanha a qualidade dos mesmos. Tirando o exagero dele nesta última parte, o resto da mensagem me fez pensar na utilidade que eu faço deste espaço. É uma coisa egoísta até, eu sei, mas é de extrema importância para mim.

Para explicar o efeito medicinal que os blogs (neste caso, o meu) têm na vida das pessoas (neste caso, a minha), recorro a uma historinha: no final do século passado, lá por meados dos anos 90, eu odiava algumas reportagens do Fantástico, principalmente as que tratavam de UFOs, ETs, OVNIs e todas outras siglas extraterrestres. Era sensacionalista, vai. E dava medo.

Eis então que o pequeno Julio, assustado com o tom "estamos sendo invadidos" da revista eletrônica semanal, criava artifícios para não perder o sono - e nem a aula na segunda-feira. Para isso, recorria e mentalizava pensamentos positivos. Neste caso, eu pensava no futebol. Entendam: estava na época em que o esporte bretão era jogado nas quadras de cimento batido e discutido com os amigos. Pensar isso, então, me distraia e tirava a tensão.

Da mesma forma é o blog agora. Com ele, exercito meus textinhos de terceira, criando estórias mirabolantes e me deliciando com o efeito que elas provocam nos poucos que lêem. Confesso também que quando alguém comenta algum post comigo, me sinto autor. Diferente da imparcialidade às vezes entediante do jornalismo. E é impressionante - e maravilhoso também - como podem existir múltiplas interpretações de uma mesma cena.

Mas aí publicar uma coletânea de textos deste blog já acho muita pretensão. Agradeço ao Fábio pela idéia, mas prefiro ficar apenas com os efeitos medicinais desta ferramenta moderna. A eficácia é tanta que até nem sei para quantas pessoas já recomendei ter um blog. Faz bem, acredite.

6 comentários:

Dieguito disse...

ainda não passei da fase de mentalizar futebol hahahah...

fico lembrando tipo lances de palmeiras x asa de arapiraca, as coisas mais toscas!

quando eu to com medo, puto, triste, ou qq coisa ruim... eu penso em futebol hahahaha

Thais Arbex Pinhata disse...

Júlio, talvez você deva seguir os conselhos do Fábio, viu?!

Assim como ele, passo sempre por aqui e gosto muito dos seus textos!

Esquece o jornalismo, e segue na literatura!

=)

Fábio disse...

É por isso que gosto de você pra caramba, rapaz. Apesar de ser um torcedor-freguês-do-Atlético-PR...

Além de talentoso, é modesto. O que é uma virtude, a meu ver.

Mas continuo achando que devia pensar no livro, hehehe. Abraço!

Emanuel disse...

Também não me canso de recomendar a terapia do blog para meio mundo, meu caro!

Aliás, eu achei que só eu tivesse medo dos ETs do Fantástico. Pô, precisava expor tantos os bichos? Eu passei semanas dormindo com os meus pais, e já tinha uns 11 anos!

Juuuu disse...

O "efeito medicinal" tb serve para os amigos jornalistas q queriam ter tempo, paciência e criatividade para manter um blog.. masss... ficam só na leitura e comentários esporádicos como eu =)Aliás, acho q geralmente qdo vc gosta de um texto é pq ele diz algo que vc queria escrever tb...

Simmm, e eu tb odiava as reportagens ETS do Fantástico!! =Z

Josie disse...

Deixe a pretensão de lado... escreva, apenas. Quem sabe um dia, no futuro, vc não voltará a ler seus "textinhos de terceira" com "estórias (é, vc insiste em escrever histórias à moda antiga) mirabolantes" deste "modestíssimo blog", como só vc despretensiosamente o chama, e surpreenda-se com um "oh! e não é que o pequeno Julio escrevia bem já naquela época?"
Importante que vc tenha esse registro, apenas. Um dia, quem sabe, serão reunidos numa coletânea... da qual terei prazer em revisar! ; )

Por hora... se o efeito medicinal é o que te impulsiona a escrever, siga em frente. Faz bem, eu acredito. E espero nunca te ver totalmente curado!

com saudades dos nossos programas 24hrs, beijos