Conflito de interesses

"Eu acho que a gente podia ser assim". Foi o que ele disse quando já estava com as mãos em sua cintura, fitando-a e com uma vontade enorme de beijá-la. Há algum tempo vinham se conhecendo, e quem visse a relação dos dois de fora, não daria mais de um mês para que eles consumassem o fato.

Ela então pensou em tudo, o que eles haviam vivido até ali. Apesar do pouco tempo que se conheciam, já se consideravam amigos! E aí veio a frase que ela mais temia. "Eu acho que a gente podia ser assim". E as mãos na cintura dela correram pelas costas e os corpos se esquentaram até os rostos se tocarem e as bocas...

Aí a coisa fluiu. O sofá, que passava por ali, serviu confortavelmente como a primeira noite dos dois. Noite não, aliás, porque era de tarde e os dois apenas para recuperar um DVD dela. E tudo acabara naquilo. No sofá, sob olhares da mesinha de centro, da TV e do tapete.

O toque dele era bom e a estimulava. A calça jeans - que a deixava sinuosamente deliciosa - fora facilmente retirada enquanto as mãos dele percorriam o corpo dela como um escultor com sua argila. Aos beijos e lambidas, seguiram como num balé de corpos desesperados por se completarem.

Depois, ainda ofegantes pela lancinante tarde amorosa, se olharam por longos segundos, como se prevendo o fim. Num estalo, recolheram as roupas do chão sem trocar qualquer palavra, não se despediram e não se viram mais. Estava tudo acabado entre os dois.

Por Julio Simões, em 1º de agosto de 2007.

3 comentários:

Jo disse...

comentários espontâneos de quem acabou de ler e não conseguiu segurar as palavras:
*não gostei do título, podia ser mais poético, dado o texto
*me lembra as palavras americanas fast-food, que ditam nosso modo de ser: foi bem caracterizado no cuidado que vc teve em delinear a relação do dois, e o modo seco e rápido que usou pra concluir, "estava tudo acabado entre os dois"
*"...seguiram como num balé de corpos desesperados por se completarem" - que lindo isso! (gosto de qdo a palavras balé não vem necessariamente acompanhada de u1m contexto de dança)

...por hora é isso.
gosto da variedade e criatividade dos seus textos! não deixe-as de lado. bjos

Julio Simões disse...

Nota do autor:
* O título não é tão poético porque, enfim, o texto não é poético.
* O texto é sobre isso mesmo, sobre o objetivo que os dois tinham e que conseguiram, mesmo tendo outros valores envolvidos. Quando conseguirar, a relação passou a não ter valor.
* Hahaha. Incrível como vc gosta das frases que eu escrevo de última hora, quando preciso completar uma idéia ou apenas quero ampliar a frase. Deve ser efeito da palavra balé.

... bom, é isso. Achei que devia uma resposta à crítica. Afinal, concordo com uns pontos, mas discordo de outros.

Jo disse...

thanks! qqr tipo de resposta é bem vinda.
aproveitando o embalo, confesso que não entendi a frase "...era de tarde e os dois apenas para recuperar um DVD dela" - ??
e se me permite um PS, escute a música "na cerreira", daquele compositor da MPB de lindos olhos azuis... =)